domingo, janeiro 30, 2011

De luz e de sombra


No início, tentei encontrar razões para não acreditar que seria possível viver uma história assim. Reflecti e analisei. Muni-me de pretextos e continuei espartilhada, a guerrear pela ideia oca de estabilidade que acreditava ter. E persistia naquele fluxo de palavras que anteriormente tinham traduzido ideias e significado certezas. Um dia e outro dia, engalanada de retórica. Depois, sentei-me e conversei comigo, num dia em que a luz do Outono se mantinha ocupada a desenhar formas esbatidas. E senti que não adiantava protelar mais o inevitável. Passei a dividir-me entre querer absorver as sensações novas, saborear as gargalhadas, ver a tua linha do horizonte, partilhar, conversar e ouvir a tua perspectiva. E acredito… que seremos muito mais que uma referência diluída numa esperança de adolescência retardada ou um estado de optimismo perfeitamente inadequado ao momento.

5 comentários:

Rafa disse...

:) lindo.

ADry disse...

Quase percebo!
Mto bom!

Tina disse...

Rafa e Adry, obrigada.

Dexter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dexter disse...

Adoro os teus textos :)
Bjs