quinta-feira, novembro 09, 2006

Para quê…?


A alma queria criar raízes e não achava solo suficiente para se fixar, a imaginação queria perder as asas, mas não sabia caminhar, o calendário queria guardar os dias, mas deixava sempre que lhe arrancassem a folha no final de cada mês.

Reuniram-se, discutiram opções e soluções, procuraram aconselhamento e acabaram por chegar à conclusão que não há nuvens a atapetar veredas, nem ondas do mar no deserto, nem canteiros de hortenses na superfície lunar, por isso, para quê complicar?

4 comentários:

Bruna Pereira disse...

Também acho.
Com a poesia nas palavras fica tudo muito mais simples.
Para quê complicar?
:)

Anónimo disse...

Também não percebo porque complicamos tudo...
Digo complicamos porque,mesmo sem querer complicar, por vezes complicamos...
Estou a tentar não complicar muitas coisas na minha vida.
Algumas consigo, outras ainda estou a tentar. Mas, tentar já é bom.
Viver um dia de cada vez. E amanhã é outro dia!
Gosto de vir aqui visitar o teu cantinho...

Tina disse...

E eu gostei que viesses cá visitar o meu cantinho... aliás gosto muito quando vêm e voltam, deve ser bom sinal. Obrigada a ti, Tânia, a ti, Bruna e todos os que visitam este espaço.

Claire disse...

Pois é, pra quê?
São meio que inevitáveis, irracionais e mais ainda passageiras. Mas razão de ser as complicações não têm.

Primeira vez aqui. Volto.