quarta-feira, setembro 13, 2006

O tempo...

O tempo (meteorológico), esse poderoso "desbloqueador" mundial de conversa, tem servido de inspiração para a composição de textos lindíssimos. Hoje, lembrei-me de um que gosto particularmente (quem sabe, inspirado pelo tempo... ou não) e achei por bem partilhá-lo convosco. É “Gotas de Tempo Puro”, da autoria de Paulinho Moska, celebrizado por Ney Matogrosso.

Choveu dentro de mim
Gotas de tempo puro
Trovoadas de passado
Relâmpagos do futuro
Todos os relógios de pulso
Foram jogados no lixo
Modificando a história do homem
Mudando a vida do bicho
A sensibilidade dos anjos
Tornou-se meu ponto de vista
E a multiplicidade do agora
Faz de todo mundo um artista
Todos os relógios da torre
Perderam o mínimo sentido
Chegou a hora da aventura
Em busca do tempo perdido
O que a humanidade grita é
Eu quero a liberdade, é lógico
Mas o que a natureza ensina
É que nada tem que ser cronológico...

Lindo, lindo, lindo … e digo mais: lindo.

1 comentário:

Dulce disse...

Coucou Tina, lindo poéma, concordo contigo... lindissimo...
De vez en quando chove em ti, eu sei, lagrimas, trovoadas... mas depois da chuva, vem sempre o sol...
Também me acontece, mais do que eu digo... por vezes chove "a cantaros" (obrigada professora Tina), dentro de mim, chove com forçà... mas essa chuva é necessària para regar as flores do meu coraçao... para eu conseguir ver as coisas com mais admiraçao...
Lindissimo poèma...
Passei um bom momento...
Obrigada...
Beijocas