segunda-feira, setembro 07, 2009

Eu e a minha enorme capacidade de preocupação

Tenho andado a reflectir na minha enorme capacidade de preocupação com tudo e todos. Não há um alvo único da minha preocupação e é sempre mais fácil enumerar as coisas que não me preocupam do que o contrário. Preocupo-me com amigos/familiares; preocupo-me com as vítimas de desastres naturais, de guerras/flagelos sociais e com um sem número de situações.
Também tenho um jeito muito especial de me preocupar com pessoas que não se preocupam comigo e que nunca me "pediram" que me preocupasse com elas... portanto aqui o problema é meu e não delas. Hoje pensei em duas pessoas que se incluem nesse "lote". Pensei em como não passa um único dia na minha vida em que não pense nelas, não imagine como estará a ser o dia delas, como estarão a conseguir resolver esta ou aquela situação, em que não me aflija a sério quando sei que estão a passar com momentos menos bons...
Cheguei à conclusão que, com esta preocupação desmesurada acabo por os "endeusar" e, sinceramente, agora o que preciso é de pessoas ao meu lado e não pessoas que eu coloquei em pedestais.

2 comentários:

Dexter disse...

Como eu te compreendo...
...e agora se os enfrentares de alguma forma, ele olharão para a tua iniciativa como que de um acto de rebeldia...
Concordo contigo nós criamos este mundo a nossa volta e agora, só com um acto de rebeldia é que poderemos inverter alguma coisa.
Confesso-te que tive algumas boas surpresas com alguns amigos a gostarem da minha nova atitude, apenas não sei se eu gosto dela, e ainda não me revejo nela.
Mas uma coisa é certa, é para continuar...

Linda aos poucos chegaremos lá, alcançaremos os nossos objectivos, sejam eles quais forem...

Kiss

Tina disse...

É mesmo isso: é para continuar!