quinta-feira, dezembro 16, 2010

Procura-se destino...


Suponho que haverá um destino para cada um de nós. Ou mais do que um, quem sabe? Um destino que traçamos, um destino do qual nos afastamos e mais um que os outros dizem que nos está reservado. Acho que passei os milhares de dias que tenho a acreditar em dois destinos, um que me assustava por se apresentar vestido de banalidade e um outro que não me deixava tirar os olhos dele. Aparecia sempre muitíssimo entrosado com a audácia e havia sempre um élan de mistério que me fazia ansiar por o alcançar. Em todos esses dias, resisti estoicamente ao banal, que sempre se mantinha por perto e continuava, sem sequer me preocupar com a tangibilidade do outro. Em todos esses dias, acreditei.
Hoje, não encontro nenhum deles... Sinto que os perdi e vejo-me vagamente calma por isso.

2 comentários:

Z disse...

é porque seguiste um terçeiro ;)

O destino és tu que o traças!

Dexter disse...

O futuro é a soma de todas as nossas vivências do presente...

É claro que Tu me disseste isto de um forma muito mais empírica e poética, mas a minha mente matemática tinha que quantifica-la para que eu a pudesse, de alguma forma entender...

Tentando ser um pouco mais empírico, eu diria que o destino é apenas um momento, e o que realmente importa, são as decisões tomadas em cada cruzamento da vida e principalmente a forma como enfrentamos cada caminho em que caminhamos...

Bjs