sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Há sempre...

Há sempre...
ervilhas de cheiro e miosótis nos canteiros que ladeiam este caminho.
um rasto de avião que nos leva a querer desejar.
girassóis que iluminam campos e nos prestam atenção.
borboletas que pousam e aguardam o melhor momento para partir.
vento que empurra as velas dos moinhos e instiga D. Quixotes a continuar a sonhar.
Dulcineias perdidas, Romeus e Julietas desesperados, um Pedro e uma Inês infinitamente martirizados.
um luar que testemunha sorrisos, gargalhadas limpas e rostos felizes.
um sol que encobre dor, feições sulcadas de mágoa e gritos de desespero.
sonhos que comandam vidas e vidas entrecortadas por pesadelos.

Tal como haverá sempre...
...
esperança para continuar.

2 comentários:

Rafaela disse...

Genial amiga! Sim existe sempre esperança para continuar, uma esperança muito quixotiana, mas é sempre uma esperança :)

Dexter disse...

Sem duvidas...

Acho que o futuro é isso mesmo, uma sequência de esperanças, umas mais atingíveis que outras, no entanto nenhuma impossível

Certamente muitos moinhos de vento nos aparecerão pela frente.

Alternando entre ser um D.Quixote ou Sancho Pança , as Dulcineias encontraremos.

Sonhadores ou Racionais , eis a questão...

Cabe-nos a nós fazer e definir essa diferença, por muito difícil que seja.

Acho eu...

Kiss